Estudo da Unifal aponta tendência de queda em casos, internações e mortes por Covid-19 no Sul de MG

Dados divulgados pelo “Boletim Indcovid”, da Universidade Federal de Alfenas (MG), apontam que o Sul de Minas apresenta tendência de queda em novos casos de Covid-19, internações e mortes pela doença.

Conforme o estudo, apenas a Regional de Saúde de Varginha não registrou tendência de diminuição de contágio, mantendo-se em estabilidade e com tendência de crescimento de internações e óbitos.

O ritmo do contágio diminuiu também entre as 10 maiores cidades do Sul de Minas. Nenhuma delas regista tendência de aumento de novos casos, sendo que Poços de Caldas, Pouso Alegre, Varginha, Passos, Itajubá e São Sebastião do Paraíso apresentam tendência de diminuição do contágio.

Já Lavras, Alfenas, Três Corações e Três Pontas estão em estabilidade.

Em internações, apenas Lavras e Três Pontas apresentam tendência de crescimento e os demais tendência de queda. Em mortes, a situação está mais equilibrada, estando Pouso Alegre, Lavras, Itajubá e Alfenas com tendência de queda. Varginha está em estabilidade e outras cidades como Poços de Caldas, Passos, Três Corações e São Sebastião do Paraíso ainda apresentam crescimento.

Quadro mostra tendência de novos casos de Covid-19 em regionais de Saúde do Sul de Minas — Foto: Reprodução Unifal

Quadro mostra tendência de novos casos de Covid-19 em regionais de Saúde do Sul de Minas — Foto: Reprodução Unifal

Avanço, mas a situação exige cuidado

 

O estudo da Unifal ressalta que tivemos nas últimas semanas uma vitória parcial e um aprendizado. O aprendizado de que com adequadas medidas de prevenção, resultados positivos acontecem. Porém, mesmo com a tendência de diminuição de óbitos, o número de novos casos ainda é alto.

Conforme o estudo, isso acontece devido ao ritmo lento da vacinação, significando que há grande circulação viral simultaneamente com muitas

pessoas em fase de imunização. Essa soma de fatores cria ambiente favorável ao surgimento de variantes

mais transmissíveis e resistentes aos anticorpos criados, ainda não em grande quantidade, pelos vacinados e pelos que já foram infectados há mais de cinco meses.

Médias mostram queda na tendência de internações e mortes por Covid-19 — Foto: Reprodução Unifal

Médias mostram queda na tendência de internações e mortes por Covid-19 — Foto: Reprodução Unifal

Médias de casos e mortes ainda altas

 

Assim como em todo o estado de Minas Gerais, a situação epidemiológica melhorou no Sul de Minas. Porém, a média diária de novos casos na semana, embora abaixo de 1.000, registra 815, o que ainda é mais que o dobro da média de novos casos por dia durante toda a pandemia: 401.

A mortalidade média diária na semana, que registrou 41 neste dia 26 de abril, ainda é quatro vezes maior do que a média diária de mortes observada em toda a pandemia: 10.

Comparando 2020 e 2021, a pandemia acelerou de modo dramático em 2021. No Sul de Minas, em termos de novos casos e mortes, apenas durante os quatro primeiros meses do ano a média diária de casos foi de 922 contra 191 de 2020; um aumento de 383%.

Em mortes, a média diária de 24 óbitos destes meses iniciais de 2021 já significa um aumento de 500% em relação às 4 mortes em média registradas em 2020. Isso demonstra a força da circulação do vírus e mesmo o aumento da letalidade a ele associada, que registrou 2,3% em 2020 e agora 2,6% em 2021.

O estudo aponta que devemos ter como saldo positivo o efeito protetor da Onda Roxa sobre o ritmo de contágio mais o avanço da vacinação da população idosa. Estes dois fatores significarão resultados positivos em termos de mortalidade, mas a média diária de novos casos ainda preocupa.

O Sul de Minas registra apenas há 4 dias (desde 23 de abril) tendência de queda no contágio, mas em fevereiro deste ano, antes do carnaval, a região registrou 24 dias seguidos de queda da média móvel semanal de casos (de 01 a 24 de fevereiro).

Via G1 Sul de Minas

Comentários: