Homem é suspeito de agredir 2 funcionárias de posto de saúde de Mococa após boato de que irmão morreu de Covid-19

Foto: Arquivo Pessoal

Um morador do distrito de Igaraí, em Mococa (SP), é suspeito de ter agredido duas funcionárias do Núcleo de Atendimento Integrado Doutor Vital Dias Porto, na quarta-feira (27), após um boato de que o irmão dele havia morrido por Covid-19.

Um boletim de ocorrência de lesão corporal, desacato a funcionário público e ameaça foi registrado. A Polícia Civil investiga o caso e, até o momento, ninguém foi preso.

Uma das funcionárias agredidas, a técnica em enfermagem Edna Regina de Souza, de 49 anos, teve um traumatismo craniano e está internada, em estado estável, na Santa Casa de Misericórdia. A outra, Lourdes Francisco, de 65, teve lesões nos braços e passa bem.

A assessoria de imprensa da Prefeitura de Mococa informou que o prefeito Eduardo Barisson (PSD) recebeu uma equipe do posto de saúde que reivindicou mais segurança e ficou acordado que dois funcionários públicos irão dar suporte no local durante todo horário de funcionamento e que a Guarda Municipal Civil também irá fazer rondas no distrito.

De acordo com a assessoria, foi registrado um boletim de ocorrência e o homem deverá responder por agressão e dano ao patrimônio público.

O suspeito não foi encontrado para comentar o caso.

Homem é suspeito de agredir funcionárias de posto de saúde em distrito de Mococa — Foto: Arquivo Pessoal

Homem é suspeito de agredir funcionárias de posto de saúde em distrito de Mococa — Foto: Arquivo Pessoal

Agressão

Segundo Francis Francisco, filho de Lourdes, o irmão do suposto agressor morreu no fim de semana e a causa da morte não foi divulgada. Porém, dias depois, surgiu um boato no distrito de que o homem havia morrido em decorrência da Covid-19.

Ainda segundo ele, o suspeito também jogou objetos no chão do posto e quebrou maçanetas de portas.

Homem é suspeito de agredir funcionárias de posto de saúde de distrito de Mococa — Foto: Arquivo Pessoal

Homem é suspeito de agredir funcionárias de posto de saúde de distrito de Mococa — Foto: Arquivo Pessoal

De acordo com Francisco, essa não é a primeira vez que as funcionárias do posto são vítimas de agressões e que já foi solicitado à prefeitura reforço da segurança no local.

“Já são promessas de dois mandatos e ninguém faz nada. Só tem um guarda no posto e não tem segurança no distrito. Minha mãe só volta a trabalhar quando a segurança do local for reforçada”, disse.

Via G1 Mococa

Comentários: