Sul de Minas já tem em janeiro mais do que o dobro de casos de Covid-19 registrados em dezembro

Foto: Go Nakamura / AFP / CP

O mês de janeiro ainda não terminou, mas o número de casos de Covid-19 registrados neste início do ano no Sul de Minas já é o dobro do que foi observado durante todo o mês de dezembro na região. Até esta terça-feira (26), a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) ja havia registrado 25.293 casos no Sul de Minas neste mês, com 288 mortes. O aumento é de 109,5% de casos em relação a dezembro e 60,8% de mortes em relação ao mês passado.

A situação crítica reflete nas ocupações de leitos de UTI em hospitais. Hoje, conforme a SES-MG, o Sul de Minas tem 75% de seus leitos de UTI ocupados, sendo que 37,94% são para pacientes de Covid-19, os maiores níveis registrados desde o início da pandemia.

Segundo os especialistas, os feriados de Natal e Ano Novo contribuíram para essa alta registrada durante o mês de janeiro. Durante a semana do Natal, o Sul de Minas teve 1.963 casos registrados. Praticamente um mês depois, na semana passada, a região registrou 8.404 novos casos, um salto de 328,12%.

“Pela trajetória dos números quando a gente observava grandes feriados e 10, 12 dias depois, o número de casos aumentava cinco, seis vezes, é completamente e infelizmente coerente, porque além de nós termos o feriado do Natal, nós em menos de uma semana tivemos o de Ano Novo, então esse efeito que era os feriados ajudando aglomerações, facilitando o contágio, ele foi potencializado, então os casos que ocorreram no Natal e Ano Novo, eles já se resolveram, mas eles alimentaram a chamada curva epidêmica e nós estamos vendo isso agora, eles deram um impulso muito forte para o aumento de casos que nós estamos observando”, disse o professor de Epidemiologia da Unifal-MG, Sinézio Inácio da Silva Júnior.

Mais cinco leitos de UTI Covid são contratados pela Prefeitura de Sorocaba — Foto: Casos de Covid-19 em janeiro já são o dobro do registrado no Sul de Minas em dezembro

Na mesma proporção, o número de mortes também vem aumentando muito. Só na última semana, foram 97 na região, quase três vezes mais do que a média registrada em dezembro, de 36 mortes por semana.

“Do dia 15 de janeiro pra cá, no Sul de Minas, o crescimento da média móvel de mortes passou de -2% no dia 15 e no dia 16 esse crescimento da média semanal de mortes aumentou em 26% e hoje está em 123% a mais, então nós estamos observando o que é esperado na epidemiologia. Mesmo que os casos comecem a diminuir, mas lembrando, eles estão em nível alto, as mortes ainda estarão aumentando por um tempo nós vamos observar esse aumento”, disse o professor.

Para ele, a situação somente poderá ser contida com a adoção de medidas mais rigorosas.

“Comerciantes em uma legítima preocupação com a sobrevivência econômica deles, com os empregos, eles têm protestado, tem sido muito difícil para eles, assim como muito difícil para muita gente, crianças fora de casa, então se a gente pelo menos pegasse 10 dias e de uma maneira firme a gente fizesse esse distanciamento social, nós conseguiríamos provavelmente diminuir esse contágio e colocar essa curva, esse número de casos, em uma descendente, para sair desse novo patamar que nós estamos entrando, em cima do qual podemos dizer que se continuar, e a situação somada nos vários municípios ao mesmo tempo, vai ser uma situação bastante crítica para o sistema de saúde”, completou o professor Sinézio.

Via G1 Sul de Minas

Comentários: